Portugal anuncia novo visto de residência só para empreendedores


Quinta, Dezembro 7, 2017



13:33



                                                                                                  

São Paulo – Quem quiser empreender fora do Brasil, agora, nem será obrigado a falar outro idioma. Portugal se juntou à lista de países que darão vistos especiais de residências a quem quiser empreender no país, assim como os vistos dos Estados Unidos e da Nova Zelândia.

Nesta semana, o país anunciou o programa Startup Visa, que tem por objetivo atrair capacidade de inovação, investimento e talento para terras portuguesas. Por isso, o foco do novo visto de residência está em quem possui ou quer criar negócios de tecnologia inovadora e potencial de escalabilidade: ou seja, startups.

A novidade foi apresentada pouco antes da abertura da Web Summit 2017, evento de inovação e tecnologia que ocorreu nesta semana em Lisboa. O congresso reuniu cerca de 60 mil visitantes e milhares de investidores.

Em comunicado sobre o visto, o Ministério da Economia de Portugal afirma que o programa Startup Visa é "um dos mais inovadores a nível europeu para atração e captação de talento internacional”.

Os requisitos para a inscrição é ter projetos centrados em conhecimento e tecnologia, com perspectiva de desenvolvimento de produtos inovadores; ter potencial para criação de emprego qualificado; e ter potencial para atingir, três anos após o período de estabelecimento, um valor de 325 mil euros ou um volume de negócios acima de 500 mil euros por ano.

A avaliação do potencial econômico e inovador de cada startup é feita com base em critérios como capacidade da equipe de gestão, escalabilidade do negócio, grau de inovação, potencial de criação de emprego qualificado em Portugal, potencial de mercado e a relevância do requerente na equipe.

Os empreendedores selecionados poderão se beneficiar, além do visto de residência, dos apoios e incentivos da rede Startup Portugal, incluindo possíveis incubações. As incubadores receberão os projetos que sejam considerados relevantes após sua inscrição na futura plataforma.

"Este programa pretende reforçar o ecossistema de inovação e afirmar Portugal como um país aberto ao empreendedorismo e a todos que com o seu conhecimento e capacidade de inovação podem trazer investimento à economia portuguesa, capaz de reforçar e potenciar os recursos humanos qualificados nacionais”, escreve o Ministério da Economia no mesmo comunicado.

O ministro português da Economia, Manuel Caldeira Cabral, discursos em um dos primeiros blocos do Web Summit e falou sobre o empreendedorismo no país.

"Acreditamos num país aberto ao investimento, aberto aos empreendedores e aberto às empresas. Achamos que a abertura é a chave para o crescimento e para uma sociedade cosmopolita”, declarou o governante, segundo o jornal português Correio da Manhã.

"Temos de olhar para o crescimento de forma global e temos de incluir todos, desde logo os países em desenvolvimento e os países africanos”, completou. "Se tiverem um bom projeto e for validado, são muito bem-vindos [a Portugal] e têm residência”.

O país está investindo pesado para fomentar seu ambiente empreendedor há alguns anos. Lisboa se tornou um hub para aceleradoras, incubadoras e startups criativas e tecnológicas, O ecossistema de scaleup português já tem uma taxa de crescimento duas vezes maior do que a média europeia, reporta o VentureBeat.


General  

0 0


Seu nome*

Endereço de e-mail*

Comentários*
Você pode usar estas tags HTML:<p> <u> <i> <b> <strong> <del> <code> <hr> <em> <ul> <li> <ol> <span> <div>

Código de verificação*
 
*





Jornal Sindsime










ASSUNTOS

.


ARTIGOS RECENTES


COMENTÁRIOS RECENTES


ARQUIVOS



TOPICOS