Irmãos apostam no mercado de cultura pop e são gigantes do setor


Segunda, Julho 16, 2018



14:32




Irmãos apostam no mercado de cultura pop e são gigantes do setor

Empresários começaram com camisetas de personagens de quadrinhos e de filmes e hoje são gigantes no setor de produtos de cultura pop.


O filme Homem de Ferro 1 faturou quase R$ 600 milhões de dólares mundialmente. Um sucesso estrondoso que abriu as portas de outra indústria bilionária para dois irmãos brasileiros. E, como nos filmes, no início eles não tinham noção dos próprios poderes. São dois irmãos que começaram vendendo camisetas de personagens de histórias em quadrinhos e de filmes e hoje são gigantes no setor de produtos de cultura pop.

Eles começaram a estampar um montinho de camisetas. Ano passado, venderam mais de quatro milhões de unidades. Felipe Rosetti e Vinícius Rossetti investiram R$ 5 mil para comprar 130 camisetas, que estampavam com frases de humor. Durante um ano não tiraram um tostão do negócio: todo lucro era usado para comprar mais camisetas. Um esforço heroico que de bons resultados: "Zero dívidas. Desde o começo da empresa, a gente não tem um real de dívida, nunca pegou um empréstimo no banco e muito disso por conta desse reinvestimento que a gente faz até hoje”, conta Felipe.

A primeira loja foi em um shopping. O sonho dos fãs de super-heróis era colocar os personagens preferidos nas camisas. Os irmãos foram atrás das grandes marcas para conseguir a licença de uso e não tiveram sucesso. "Uma das maiores lições é saber receber o não. É não só receber o não e sair bravo, como desafeto com quem te deu o não. A gente saía com o não agradecendo pelo não e perguntando o que a gente precisaria pra receber o sim”, afirma Felipe.

As marcas queriam parceiros com alto volume de vendas, para atingir o maior público possível. Em 2013, já com 60 lojas franqueadas, os irmãos Rossetti conseguiram o primeiro licenciamento. O resultado foi o aumento de 30% nas vendas. Agora, os lançamentos são pensados para coincidir com a chegada dos heróis às telas.

Eles ganharam muito dinheiro, mas não mudaram a fórmula secreta do sucesso: continuaram aplicando quase tudo na empresa. Ano passado, investiram R$ 5 milhões e construíram uma fábrica de 11 mil m², em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Se muito empresário depois que cresce vai pra China produzir, eles resolveram fazer tudo aqui no Brasil, mais barato que o chinês e oferecem 520 empregos.  São três turnos, dia e noite. Produzem 18 mil camisetas por dia. A receita da produtividade: automação e premiação da equipe.

Hoje, a rede tem 315 franquias no país. Em 2017, faturou R$ 130 milhões. A meta deste ano é crescer 20% em termos de faturamento, inaugurar mais 100 lojas no Brasil e já incluir unidade no exterior.


General  

0 0


Seu nome*

Endereço de e-mail*

Comentários*
Você pode usar estas tags HTML:<p> <u> <i> <b> <strong> <del> <code> <hr> <em> <ul> <li> <ol> <span> <div>

Código de verificação*
 
*





Jornal Sindsime










ASSUNTOS

.


ARTIGOS RECENTES


COMENTÁRIOS RECENTES


ARQUIVOS



TOPICOS